"Sexta-feira, 11 de Janeiro de 2008


Alentejo irá receber dotação financeira de 869 milhões de euros para fixar população

«Criar emprego e fixar população são metas que o novo ciclo de apoios comunitários deve ajudar a concretizar no Alentejo, estando um terço do financiamento deste programa regional consagrado à inovação empresarial e à competitividade, noticia a Lusa.
Com uma dotação financeira de 869 milhões de euros (1.460 milhões no total, acrescentando a contrapartida nacional), distribuídos por seis eixos prioritários, o Programa Operacional (PO) do Alentejo 2007-2013 destina grande parte das verbas aos eixos da competitividade, inovação e conhecimento (294 milhões de euros) e da conectividade e articulação territorial (201 milhões).
Nos próximos anos, o grande objectivo para a região passa por «ter mais gente», sustentou Maria Leal Monteiro, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDR-A), em entrevista à Agência Lusa.
«A região está envelhecida. Se conseguirmos inverter esta tendência seria muito positivo. Queremos dar oportunidade à criação de novos empregos, qualificados, para manter na região as pessoas mais jovens que não têm grandes expectativas profissionais», sublinhou.

Baixa taxa de actividade e elevado desemprego
Entre as debilidades da economia desta região destaca-se a baixa taxa de actividade: em 2004, o Alentejo registava um valor de 49 por cento, abaixo da média nacional de 52,2 por cento.
O Alentejo é também a região de Portugal com maiores índices de desemprego (8,7 por cento de acordo com dados relativos ao terceiro trimestre de 2006, 1,3 por cento acima da média nacional), fenómeno que se estende às mulheres e aos jovens, cuja taxa de desemprego é também superior à média nacional.
Maria Leal Monteiro antecipa o surgimento de novos postos de trabalho em sectores de actividade tão distintos como o turismo, a aeronáutica ou a agricultura, repartidos pelas cinco sub-regiões (Alentejo Litoral, Alto Alentejo, Alentejo Central, Baixo Alentejo e Lezíria do Tejo) e 58 concelhos inscritos no PO.

«Triângulo virtuoso»
No chamado «triângulo virtuoso», destacou o potencial do aeroporto de Beja, do Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva, na sua vocação turística e agrícola, e do complexo de Sines, que conjuga o porto e uma zona industrial e logística. "(1)



"As autarquias locais do distrito de Portalegre, do Alentejo e do País devem receber, através do Orçamento de Estado de 2011, os meios financeiros a que têm legalmente direito para ajudarem as respectivas populações a enfrentarem melhor os efeitos negativos da actual crise(...).Reclamar o cumprimento da Lei das Finanças Locais porque devido ao não cumprimento da citada Lei são retirados, através dos Orçamentos de Estado de 2011 e 2010, pelo menos, 327,98 milhões de euros, 227, 98 milhões em 2011, e 100 milhões em 2010, às 308 Câmaras Municipais do País como é reconhecido pelo Conselho Directivo e Conselho Geral da ANMP;
3. Chamar a atenção para o facto de o Governo gastar 98,54%, enquanto todas as autarquias do País irão gastar apenas 1,46%, do total dos recursos financeiros previstos no Orçamento de Estado para 2011. (...)
a) Às 308 Câmaras Municipais do País são retirados 327,98 milhões de euros o que corresponde a uma redução financeira média no valor de 30,83 euros por habitante;
b) Às 47 Câmaras Municipais do Alentejo são retirados 40,25 milhões de euros o que significa uma redução financeira média no valor de 79,94 euros por habitante, ou seja, é imposto um sacrifício/redução financeira 2,6 (duas vírgula seis)) vezes superior ao suportado por habitante a nível do País;
c) Às 15 Câmaras Municipais do Distrito de Portalegre são retirados 10,65 milhões de euros o que corresponde a uma redução financeira média no valor de 92,24 euros por habitante, ou seja, é imposto um sacrifício/redução financeira 3 (três) vezes superior ao suportado por habitante a nível do País... (...)." (2)
(1) http://viladegaviao.blogspot.com/
(2) http://jornaldenisa.blogspot.com/

E diz que é rosa. Como se não lhe desse o espinho a esta nobre e imensa região. Como se não estragasse a vida ao edil da Câmara Municipal do Crato, que lutou, que tanto lutou com o de Alter, Fronteira, Avis e Sousel e individualmente o que pensava para esta região, que o blog pensa, a coisa indo para a frente outro galo por estas bandas cantaria. O blog informa que na pesquisa, o ano de 2009, o dito não o conseguiu apanhar.
publicado por DELFOS às 14:00