Alpalhão veste de Branco
O que a torna encantada
Parecendo envolta num manto
Feito de espiga aloirada

Por D. Dinis foi destacada
Em tempos que já lá vão
Não retando quase nada
Do seu Castelo de então

Mantém ainda a tradição
Da grande Sáia-Rodada
Do regional capotão
E do chapéu de aba larga

Das touradas à vara larga
Onde o povo ri e goza
Ao ver a roupa rasgada
Do agarrador que o boi sova

Nossa Senhora da Graça é o orago
Da sua gente hospitaleira
Que a Nossa Senhora da Redonda adora
Igualmente como a primeira

Numa constante canseira
Angriando o Devino Pão
A sua gente tão hordeira
É bendigna da menção

Nos seus cruzeiros lá estão
Datas de um feito imortal
Lembrando que os de Alpalhão
Honraram e sempre honrarão Portugal...

Que pasmo...
O blog assim o sente...

"Lembrando que os de Alpalhão, honraram e sempre honrarão Portugal" ou apenas o exceder uma ponderação que ultrapassa o assombro.

O blog "Alpalhão" não consegue reconhecer o pai da criança e nem ao menos lhe pode sequer agradecer pelo deixado.
Não possui o conhecimento se é um canto tradicional deixado ou se é assim um autor... Mas que pasma e é uma honra ser de um gene assim tão alto e no mais puro canto é este ser e povo cantado!
publicado por DELFOS às 04:35