Mas muito se lhe agora em lá a generalis e agora se lá lhe diz a conquista lá o Tibete ou lá montanhas a montanha lá da zona ou de lá perto e se esquece em outrora os portugueses lá estiveram no séc. XVI e a coisa um bocadito mais difícil a fizeram e não havia limites e não deixa de ser a pedra em lá bravura...

É daquelas coisas "Somos os primeiros" e esta vila lá nos da frente e esta terra entre os primeiros. Que orgulho é lá que este povo...
É mesmo daquelas coisas que quem lá escreve, a satisfação, que não é Lisboa, a Lisboa o mesmo é este povo aqui tão perto...Daquelas coisas...

Nunca sabereis onde a escuridão começa...Que se começa a escrever e logo... Fogo!Não sabe o blog "Alpalhão" se o Padre Manuel Dias, o amigo, homem lá do mundo, a alcunha, o cognominado «Sénior», o foi, a razão não esteve por ter um sobrinho também Manuel Dias, na igualdade, que na igualdade de posição celestial , o mais engraçado era também padre e ambos eram naturais de Alpalhão.

O primeiro e é neste que se vai falar nesta postagem.

Ele entra com dezasseis anos de idade no colégio da Companhia de Jesus.
É Évora.
Entra em Évora a 30 de Dezembro de 1576.

Não vale.
Blog lá não muita contente.
O blog confessa que não sabe quando nasceu.Não sabe quem era os seus pais lá em altura aquela em sua vida terrena...Sabe que o Reverendo partiu para a Índia em 1585. A nau que o transportava sofreu um acidente entre a Ilha de S. Lourenço e as costas de Sofala. Coisa lá aquela o célebre naufrágio está narrado na História Trágico-Marítima.

Muitos sofrimentos depois de muitos sofrimentos, o Padre Manuel Dias conseguiu chegar à Índia onde se ordenou de presbítero, iniciando então a sua vida de missionário.

Após dezasseis anos de experiências na Índia, em Goa onde terminou os seus estudos, em Chaul e Tana, onde foi responsável pelas residências jesuítas locais, entrou na missão da China onde lhe deram o apelido Li Mano-No Hai-lo em 1601.

Ano de 1596.
No ano de 1596foi nomeado reitor do Colégio da Madre de Deus em Macau, sendo depois enviado a três províncias da China, deixando o cargo entre a Valentim de Carvalho.
A sua estadia em Nanquim baptizou um príncipe da família imperial que ali passava uma temporada e a quem deu o nome de José. Que não há um sem três - assim o pensa o blog - outros três familiares receberam a graça também pelo baptismo.

É Natal.
É dia de Natal.
No dia de Natal de 1608 Manuel Dias, inaugura uma igreja e duas capelas.

A vida não para.
Um ano depois era de novo chamado a Macau. Foi chamado a Macau para dirigir pela segunda vez, o colégio jesuíta.

Era prudente.
Este prudente religioso, profundo conhecedor da língua e culturas chinesas, escreveu em 1607 um "Memorial Apolegético", graças ao qual foi abortada uma perseguição contra jesuítas companheiros seus.

A informação.
A informação que em tempos modernos também não circula e diz que é democrática ou lá da terra do Crato. Em terras pequeninas a cuspir umas para as outras.
A informação?
Quem dá o que tem ou lá Lua passeira que não passa e mas Viva lá o Sol que tudo mostra e tudo revela em escuridão de alguma gruta que mais que seja ela lá resgatada.

É um período.
Será sempre o tempo.
Segue-se um período de escassa informação sobre o seu trajecto. Mas branca.Branca é a folha é a pureza ou folha de papel que nunca se escreve.Mas o blog compreende. Como o blog consegue lá compreeder tão bem aquele tempo lá passado...
Não sabe se na modernaça u é lá ainda mais que pior em tempo moderno que lá não aventureiro.

Sabe-se apenas que estava ainda em Macau em 1619.
Sabe-se que em 1636 Manuel Dias era nomeado Visitador da China, Japão, Tonquim, da Conchichina e dos Reinos de Sião, Ava, Camboja e Laos.
Um ano depois escrevia ao superior dos jesuítas, sugerindo-lhe que enviasse para o Oriente padres de diferentes nacionalidades, cada um deles com um talento especial, fosse no campo da pintura, da matemática, astronomia ou outra qualquer ciência ou arte...

Que homem ou lá a grandiosidade de fulano humano e tão meu.

Manuel Dias faleceu em 1639.
Faleceu com oitenta anos de idade.
Está sepultado em Macau.
Na sua pedra tumular reza o seguinte: «O Padre Manuel Dias Visitador falleceo aos 22 de Novembro de 1639 está enterrado na Capella mor junto ao pé do arco da banda do Espírito Santo, começando da 3.ª pedra vermelha para dentro, e he a mesma cova em q. foi enterrado dantes o pe. Jeronimo Rois de Carvalho»....

Escreveu as cartas onunas de 1625 e de 1629, pelas quais é considerado um notável orientalista.

Nota:
Trabalho muito bem feito e a maior parte é transcrita "Hojemacau-30-03-2007".
Foi um trabalho que o blog gostou muito de fazer.
É daquelas coisas que parece que se sente um orgulho em ser português.Não deixa de ser daquelas coisas em informação com que se estava a jogar, não deixa de existir muita contradição entre ela e das coisas que sobressai, entre algumas, é o dia da morte e o local onde está sepultado...

O blog talvez venha a voltar ao assunto.
publicado por DELFOS às 13:05