É daquelas coisas que o blog, este espaço que é só vosso e apenas vosso, o blog gosta muito quando em dilemas lá cerebral dele, fica sempre muito feliz quando lhe consegue apertar o rabo a uma coisa que lhe andava fugindo... Tem destas coisas a solitária busca o tem...

Ora, no Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa de José Pedro Machado " top. Cidade francesa. O Voc. e X. Fer. (I, p. 78) dão como equivalente port. desta forma Tolosa que, afinal, hoje só se emprega com os topónimos port. (Nisa) e esp. ; em relação do fr. todos dizemos "Tuluse" tal como escrevemos Toulouse, a grafia fr. ; as tentativas para impor Tolosa (com uso ant., em vez daquela, não têm sido felizes: esberram com o uso, com o artificialismo e os inconvinientes da confusão, pois desse modo passaríamos a ter a mesma forma para três topónimos diferentes (e cada um em seu país). Como disse, em port. ant. esta cidade fr. era, na verdade, chamada Tolosa: St. Maria n.º 78, vs. 1, 11, 58; n.º 158, vs. 23; n.º 175, vs. 8, 15, 56, 80; n.º 195, vs. 91; n.º 208, vs. 10; n.º 253, vs. 16; F.L.F., cap. 14, p. 46). Isto, porém, não constitui razão suficiente para a utilizarmos hoje; nesse caso o nosso "purismo" obrigar-nos-ia, coerentemente, a também proferir Odiana, Badalhouce, Ceita, etc. em prejuízo de Guadiana, Badajoz, Ceuta, etc. Ver Mensal, XIII, p. 335, e XIV, p. 190. Não se siga, portanto, a doutrina do Voc. s.v Tolosa".
publicado por DELFOS às 10:01