Qualificar os subsidiados

A qualificação da mão-de-obra, nomeadamente dos desempregados, o reforço da flexibilidade laboral nas empresas e uma maior selectividade dos centros de emprego na gestão das ofertas de emprego são as apostas do Governo para dinamizar o mercado de trabalho, num quadro de economia estagnada.

Estes são, de resto, os três eixos prioritários constantes no Orçamento do Estado de 2011 no capítulo das políticas de emprego. Importante nesta estratégia é igualmente o passo já dado, com a revisão do regime do subsídio de desemprego, que dificulta as hipóteses de os desempregados subsidiados recusarem ofertas de trabalho e que faz que as empresas tenham de pagar menos para contratar mão-de-obra.No capítulo das qualificações, o Ministério do Trabalho começou já em Novembro a chamar desempregados subsidiados para frequentarem acções de formação nos Centros Novas Oportunidades, sob pena de perderem o respectivo subsídio. O secretário de Estado do Emprego estimou ao DN que todos os desempregados subsidiados sem o ensino secundário completo seriam envolvidos naquela chamada, o que rondaria um universo de 250 mil indivíduos. Abrangidos serão também cerca de cinco mil beneficiários do rendimento social de inserção (RSI) com mais de 18 anos com ou sem o primeiro ciclo do ensino básico. Para este público, com necessidades especiais, está previsto um programa de qualificação que assenta no desenvolvimento de competências básicas, como leitura, escrita, cálculo e introdução às tecnologias de informação. (1)

(1) http://sapo.pt/bolsa/emprego/interior.asp?content_id=1725954   /  Diário de Notí  (hoje)

Nota:
Se vires alguém com fome, não lhe deis um peixe. Ensina-o apenas a pescar. Eu penso que esta frase não é nenhum provérbio, entendo que ela é do parente Confúcio.
O blog "Gavião no Alentejo" pensa que o conceito é válido.
Apenas entende , o termo de cem mil portugueses que já fizeram as novas oportunidades, a coisa e assunto não lhe cai assim bem no goto. Apenas está falando que também já fez As Novas Oportunidades, as que dão acesso ao nono ano. Pensa, não basta apenas ficar com um diploma.
O blog, o blog julga que o conceito Empregabilidade, o termo, ele foi inventado por um brasileiro e pensa que já vai alguns anitos.  
O que está em causa, as pessoas nem todas são iguais em idade. Mas todas as pessoas devem ter o direito ao pão para a boca. Numa economia global e o mercado de trabalho incerto para toda a gente, que ninguém está seguro, o blog "Gavião no Alentejo", acha que As Novas Oportunidades, as que dão acesso ao décimo segundo,  apenas pensa que se lhe devia dar o minímo de gestão e empreendorismo, criatividade...
A coisa continuando, o blog acha assim um bocado de humor. Está querendo dizer, que as Câmaras Municipais, ao darem um subsídio a jovens para estimular a natalidade, o mesmo o deviam fazer a quem quer montar o seu próprio negócio, ou então, o blog tem consciência, uma vez no mês, as referidas terem um técnico para analisar projectos ou como por exemplo fazer um plano de negócios, ou que pudesse sempre dar uma orientação.
O blog termina, dizendo apenas, nunca teve direito a fazer um curso neste concelho de Gavião e que vai para quatro anos que não verga a mola e a viver quatro anos tão duros numa família disfuncional. São apenas razões políticas, que levam a dizer "que são sempre os mesmos"...
Vamos a ver se a medida agora anunciada, ela é para todos!!!!!!!!!
publicado por DELFOS às 08:20