SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO CIENTIFICA E TÉCNICA

02.02.11

Designam-se Serviços de Informação Científica e Técnica e são um serviço central do Ministério do Emprego e Segurança Social - na estrutura da sua Secretaria-Geral - de concepção, coordenação e apoio técnico nos domínios da documentação, informação e divulgação da informação científica e técnica, para as questões sociais nas áreas de Política Económico-Social, Direito, Condições e Relações de Trabalho, Emprego e Formação Profissional, Estatísticas Sociais, Organizações Internacionais, Política Comunitária e Segurança Social.

Pode pois dizer-se, sem exagero, que em matéria de Trabalho, no SICT é possível encontrar todo o tipo de informação: referencial, bibliográfica, factual, jurídica, estatística e de imprensa - tanto no âmbito nacional, como internacional e comunitária.

BANCO DE DADOS

O fundo bibliográfico do SICT - com cerca de 65000 títulos, entre eles 1800 relativos a periódicos - é constítuido, nomeadamente, por colecções de obras de referência (enciclopédias gerais e especializadas, dicionários de línguas e técnicos, glossários, directórios, reportórios, guias e atlas, constituições, códigos, estatísticas, obras júridicas e colectâneas de legislação), colecções gerais (publicações do Ministério do Emprego e Segurança Social, relatórios e estudos de organismos públicos e privados nacionais e estrangeiros, publicações de organizações e instituições internacionais, bibliografias temáticas) e colecções de periódicos (periódicos especializados de âmbito económico social, jurídico e estatístico, séries das organizações internacionais, revistas de grande divulgação e newsletters).

Para além do já referido, o SICT dispõe ainda de documentação jurídica (informação sobre legislação e jurisprudência de âmbito nacional, comunitário e estrangeiro, informação sobre regulamentação colectiva de trabalho), documentação de Imprensa (arquivo temático de Imprensa diária, semanal e mensal desde 1974, documentação de Imprensa em microficha de "Conflitos de Trabalho/Sindicalismo", "Questões Sociais" e outras desde 1974) e de um arquivo histórico e documental (arquivos com material de organismos extintos antes de1974 - Ministério das Coorporações e Previdência Social, Serviços de acção social, grémios, etc.).

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

O SICT presta vários serviços aos seus utentes, através de um atendimento personalizado, que pode passar por consulta, informação e pesquisa, empréstimo, reprodução de documentos, tradução, terminologia, cooperação, formação e consultoria. No seu leque de utilizadores preferenciais, encontram-se juristas, sociólogos, economistas, investigadores, estudantes, parceiros sociais.

A prestação de serviços de informação que implique recolha de dados e organização, resposta ou pesquisa por meios informáticos ou temáticos é acompanhada por técnicos de informação no acesso a base de dados nacionais e estrangeiras. O SICT acede também, via Telepac, a diversas bases de dados (nomeadamente à PORBASE - base de dados bibliográficos - e às bases de dados internacionais da Organiazação Internacional do Trabalho e do Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional).

As bases de dados em CD-ROM são outro meio de pesquisa utilizado pelo SICT no que respeita a Informação sobre Sociologia do Trabalho, Higiene, Medicina e Segurança no Trabalho, Legislação Comunitária e às Convenções, Pareceres ou Relatórios da Organização Internacional do Trabalho.

Na Base de Dados Bibliográfica SOTE (Social, Trabalho e Emprego) é inserida toda a documentação tratada bibliograficamente pela Direcção de Serviços do SICT, com uma cobertura temática de informação nacional e internacional sobre trabalho, política de emprego, formação profissional, higiene e segurança, inspecção do trabalho e segurança social.

Por outro lado, o SiCT é também produtor das bases de dados factuais ORGFO/INSTIT (Instituições de Educação/Formação em Portugal e na Europa Comunitária) e MÉDIA (Entidades produtoras de material documental, audiovisual e multimédia para formação).

LIGAÇÃO AO CEDEFOP

O CEDEFOP (Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional) sediado em Berlim, é um organismo que tem por missão promover o desenvolvimento da formação profissional, no âmbito dos estados membros. A informação em matéria de formação profissional constitui uma das acções fundamentais do Centro. Para isso, conta com uma rede de informação Documental, o SICT desenvolve várias acções: informação geral sobre educação/formação em Portugal; colaboração nas publicações do CEDEFOP, Formação Profissional e CEDEFOP Flash Special; documentação de imprensa portuguesa; respostas a questões específicas na área da educação/formação; e, entre algumas outras, recolha de informações para o "Reportório Europeu de Projectos de investigação sobre Formação/Educação" do CEDEFOP.

DIFUSÃO E PRODUÇÂO DE INFORMAÇÃO

Compete ao SICT desenvolver acções de sensibilização, promoção e divulgação dos vários produtos informativos do MESS, quer através de produção editorial de estudos sectoriais na área do emprego, trabalho e formação profissional, quer organizando ou promovendo exposições temáticas, sessõs técnicas e seminários.

No âmbito destas atribuições os Serviços de Informação Científica e Técnica apoiam logisticamente outros órgãos e departamentos do MESS no que concerne à animação de espaços de informação e à concepção e tratamento imagnético de todos os suportos informativos.

Cabe igualmente ao SICT a produção e a informação técnica, elaborando, nomeadamente bibliografias e listagens, dossiers documentais temáticos, organização diária de pastas de informação de Imprensa e de toda a informação técnica oriunda da Comunidade Europeia, do CEDEFOP e da Fundação Europeia.

SICT - Edifício Sede do MESS, Praça de Londres, 2-1º, Lisboa

Horário do Funcionamento da Biblioteca: 10-12h 30 14-16h 30

Horário de Funcionamento do Posto de Venda: 9h 30 12h 30 - 14-17h.


Mas é daquelas coisas mesmo que revolta. Seja o presidente do Crato, do Gavião ou de Nisa. Os Senhores, ao não ligarem nenhuma ao que está escrito em cima, a perder será o vosso povo e toda esta região imensa e bela. Façam um favor a vós próprios perante as vossas consciências e deiam um cheirinho e certamente que ides compreender que pode ser um polo e uma inspiração para mais qualquer coisa e um saber fazer que lá está contido e pode ser um acto de motivação para quem queira se aventurar...

publicado por DELFOS às 02:03

UM LIVRO SOBRE MARVÃO E UM PORTAL PARA ELE

01.02.11
2011-01-25

"Promover o território de Marvão como destino turístico", dar a conhecer as várias atividades que são desenvolvidas naquele concelho, são os principais objetivos do livro e do portal sobre Marvão que vão ser lançados até ao mês de abril.

Segundo avançou o vereador do município de Marvão, José Manuel Pires, o novo portal e o livro, vão funcionar como uma “janela de oportunidades” para projetar o que o concelho tem de melhor.

Esta segunda feira assinalou-se a Restauração do Concelho de Marvão, que ocorreu em 1898.

Para assinalar a data o município procedeu á apresentação do livro Marvão: Território, Produtos e Actividades e do Portal www. marvao.pt."

Susana Mourato

Fonte:
Rádio Portalegre

http://www2.portalegredigital.pt/client/skins/portuguese/artigo.asp?page=1928

publicado por DELFOS às 07:57

UNIDADE DE EXPERIMENTAÇÃO DO LABORATÓRIO BIOERGOS EM NISA

31.01.11

"No dia 26 de Janeiro, a Presidente da Câmara Municipal de Nisa, Gabriela Tsukamoto, participou na sessão de assinatura do Protocolo de Financiamento do Programa Estratégico do “Sistema Regional de Transferência de Tecnologia – SRTT. A sessão decorreu na Universidade de Évora e foi presidida pelo Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Vieira da Silva.

 





O Programa Estratégico do “Sistema Regional de Transferência de Tecnologia – SRTT”, obteve a aprovação do INALENTEJO – Programa Operacional Regional do Alentejo da CCDRA. O investimento proposto tem o valor de 41,8 Milhões de Euros, e corresponde a um montante comunitário FEDER de 29,3 milhões de Euros (com uma taxa de co-financiamento de 70% para todas as operações a candidatar). A candidatura foi apresentada pela ADRAL – Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo, líder do Consórcio que lhe dá suporte e que incorpora mais de 20 entidades (Universidade de Évora, Institutos Politécnicos de Beja, Portalegre e Santarém, CEVALOR, CEBAL, COTR, ICTVR, INRB/INIA, LNEG, LOGICA EM, Sines Tecnopólo, IDERSANT, Câmara Municipal de Beja, Câmaras Municipais do Cartaxo, de Évora, de Portalegre e de Nisa, ANJE, NERE-AE, NERBE-AEBAL).



O Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo (PCTA) constitui uma das componentes do Programa Estratégico do “Sistema Regional de Transferência de Tecnologia – SRTT. O ponto de partida que subjaz ao PCTA consiste na criação de uma rede de conhecimento e inovação fundada numa base essencialmente territorial e na concretização de uma estratégia comum de reforço das competências regionais e de afirmação das suas capacidades ao nível nacional e internacional com recurso a factores indutores de criatividade, de diferenciação e de promoção de empreendedorismo, inovação e desenvolvimento.



O PCTA será localizado no Parque Industrial e Tecnológico de Évora, no entanto, esta estrutura será complementada com a criação de pólos temáticos nas cidades de Beja, Santarém e Portalegre, com extensões específicas noutras localidades. O Pólo de Portalegre do PCTA, terá uma gestão e implementação da responsabilidade do Instituto Politécnico de Portalegre. O município de Nisa participa em parceria nessa operação. É objectivo deste pólo dinamizar no Alentejo a instalação de empresas de base tecnológica na área das energias renováveis e do ambiente, numa perspectiva de valorização dos recursos endógenos e com enfoque especial para a valorização energética de recursos e resíduos. Pretende-se que o Pólo se constitua como um “Laboratório de Energias – BioErgos” na perspectiva do desenvolvimento de Trabalhos I&DT para empresas regionais e internacionais e ainda, na criação de condições favoráveis à instalação e criação de empresas de base tecnológica proporcionando a sua fixação na região. O Laboratório porá à disposição das empresas e dos empreendedores recursos humanos altamente qualificados e infra-estruturas laboratoriais, de experimentação a uma escala piloto e de encubação empresarial de base tecnológica permitindo e facilitando a criação de empresa e a promoção do empreendedorismo.



Para Nisa está definida a criação de uma unidade de experimentação do Laboratório de Bioenergia – BioErgos, visando: – a valorização de recursos endógenos geológicos e hidrogeológicos na perspectiva da sua aplicação à indústria extractiva e transformadora, incluindo a modernização das empresas do sector; – o desenvolvimento de novas formas de aplicação das rochas ornamentais, nomeadamente, aplicações artísticas e de design; – a valorização e estudo da utilização de águas termais para aplicações biotecnológicas, saúde e cosmética. Em Nisa, as infra-estruturas de apoio ao BioErgos serão implementadas na Zona de Actividades Económicas, ocuparão uma área de 300 metros quadrados e o investimento elegível é de 900 mil euros."


publicado por DELFOS às 07:35

UNIDADE DE EXPERIMENTAÇÃO DO LABORATÓRIO BIOERGOS EM NISA

27.01.11
"No dia 26 de Janeiro, a Presidente da Câmara Municipal de Nisa, Gabriela Tsukamoto, participou na sessão de assinatura do Protocolo de Financiamento do Programa Estratégico do “Sistema Regional de Transferência de Tecnologia – SRTT. A sessão decorreu na Universidade de Évora e foi presidida pelo Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Vieira da Silva.
O Programa Estratégico do “Sistema Regional de Transferência de Tecnologia – SRTT”, obteve a aprovação do INALENTEJO – Programa Operacional Regional do Alentejo da CCDRA. O investimento proposto tem o valor de 41,8 Milhões de Euros, e corresponde a um montante comunitário FEDER de 29,3 milhões de Euros (com uma taxa de co-financiamento de 70% para todas as operações a candidatar). A candidatura foi apresentada pela ADRAL – Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo, líder do Consórcio que lhe dá suporte e que incorpora mais de 20 entidades (Universidade de Évora, Institutos Politécnicos de Beja,  Portalegre e Santarém, CEVALOR, CEBAL, COTR, ICTVR, INRB/INIA, LNEG, LOGICA EM, Sines Tecnopólo, IDERSANT, Câmara Municipal de Beja, Câmaras  Municipais do Cartaxo, de Évora, de Portalegre e de Nisa, ANJE, NERE-AE, NERBE-AEBAL).
O Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo (PCTA) constitui uma das componentes do Programa Estratégico do “Sistema Regional de Transferência de Tecnologia – SRTT. O ponto de partida que subjaz ao PCTA consiste na criação de uma rede de conhecimento e inovação fundada numa base essencialmente territorial e na concretização de uma estratégia comum de reforço das competências regionais e de afirmação das suas capacidades ao nível nacional e internacional com recurso a factores indutores de criatividade, de diferenciação e de promoção de empreendedorismo, inovação e desenvolvimento.
O PCTA será localizado no Parque Industrial e Tecnológico de Évora, no entanto, esta estrutura será complementada com a criação de pólos temáticos nas cidades de Beja, Santarém e Portalegre, com extensões específicas noutras localidades. O Pólo de Portalegre do PCTA, terá uma gestão e implementação da responsabilidade do Instituto Politécnico de Portalegre.  O município de Nisa participa em parceria nessa operação. É objectivo deste pólo dinamizar no Alentejo  a instalação de empresas de base tecnológica na área das energias renováveis e do ambiente, numa perspectiva de valorização dos recursos endógenos e com enfoque especial para a valorização energética de recursos e resíduos. Pretende-se que o Pólo se constitua como um “Laboratório de Energias – BioErgos” na perspectiva do desenvolvimento de Trabalhos I&DT para empresas regionais e internacionais e ainda, na criação de condições favoráveis à instalação e criação de empresas de base tecnológica proporcionando a sua fixação na região. O Laboratório porá à disposição das empresas e dos empreendedores recursos humanos altamente qualificados e infra-estruturas laboratoriais, de experimentação a uma escala piloto e de encubação empresarial de base tecnológica permitindo e facilitando a criação de empresa e a promoção do empreendedorismo.
Para Nisa está definida a criação de uma unidade de experimentação do Laboratório de Bioenergia – BioErgos, visando: – a valorização de recursos endógenos geológicos e hidrogeológicos na perspectiva da sua aplicação à indústria extractiva e transformadora, incluindo a modernização das empresas do sector; – o desenvolvimento de novas formas de aplicação das rochas ornamentais, nomeadamente, aplicações artísticas e de design; – a valorização e estudo da utilização de águas termais para aplicações biotecnológicas, saúde e cosmética. Em Nisa, as infra-estruturas de apoio ao BioErgos serão implementadas na Zona de Actividades Económicas, ocuparão uma área de 300 metros quadrados e o investimento elegível é de 900 mil euros."

E Nisa na frente continua sempre e em frente. Que maravilha ser assim de um concelho.
publicado por DELFOS às 09:37

mais sobre mim

pesquisar

 

Fevereiro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

últ. comentários

arquivos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro