NÍVEL DE INSTRUÇÃO E ACTIVIDADES ECONÓMICAS NO NORTE ALENTEJO

25.01.11
Dado o elevado índice de envelhecimento do Norte Alentejano e sabendo que são geralmente os escalões etários mais elevados que possuem habilitações mais reduzidas,
o resultado obtido é, apesar de pouco animador, expectável.
A estrutura de habilitações do Norte Alentejano está alinhada com a verificada na região do Alentejo, no entanto, apresenta uma maior proporção de população com o 1.º Ciclo do Ensino Básico (31% contra 34%, respectivamente) e menor proporção de população com o nível médio ou superior (16% contra 12%).
Em relação à taxa de analfabetismo, o conjunto dos doze municípios apresenta uma média de 20,8%. O valor mais elevado é registado em Monforte (27,0%) e o baixo em Elvas (13,6%).
Em relação à taxa de actividade, a taxa que permite definir o peso da população activa sobre o total da população, estes doze municípios do Norte Alentejano apresentam um valor médio de cerca de 40%.
Esta taxa de actividade situa-se invariavelmente abaixo dos valores de referência nacional e da região do Alentejo aproximando-se do valor registado na sub-região Alto Alentejo. O município de Campo Maior regista a mais elevada taxa de actividade, sendo mesmo superior à verificada na
NUTS III Alto Alentejo. Os municípios de Gavião, Nisa, Alter do Chão, Crato, Monforte e Arronches registam valores abaixo dos 40%.
Em relação aos sectores de actividade económica, predomina o sector terciário com 61,9%, seguido do sector secundário com 26,2% e do sector primário com 11,9%.


Comparando estes valores com os registados a nível nacional e regional, verifica-se que o sector terciário no território em análise assume um peso superior ao registado a nível nacional, enquanto o sector secundário se situa abaixo do valor nacional. O sector primário apresenta um valor mais elevado do que o valor nacional.


Estes valores são semelhantes aos verificados ao nível da região Alentejo.
Em relação a cada um dos doze municípios, Elvas e Castelo de Vide são os que apresentam um valor mais elevado em relação ao sector terciário, com 70,7% e 69,4% respectivamente.
Os municípios de Avis e de Sousel são os que apresentam valores mais baixos, com 51,8% e 53,7% respectivamente.
O sector secundário regista em Campo Maior e Gavião os valores mais representativos, respectivamente, 32,1% e 30,8% da população residente empregada, valores superiores aos registados na região Alentejo. Por outro lado, são os municípios de Monforte e de Alter do Chão, com 15,6% e 16,1% respectivamente, que registam os valores mais baixos.


Quanto ao sector primário, Monforte, com 21,8%, é o município que apresenta o maior número de residentes empregados neste sector seguido de Arronches (20,4%) de Sousel (19,9%). Pelo contrário, são os municípios de Gavião e Castelo de Vide, com 7,1% e 7,4% respectivamente, onde o sector primário é menos representativo.
Em relação aos sectores de actividade de maior relevância na estrutura económica da região do Alto Alentejo surgem o sector da agricultura e da produção animal associada, a indústria de panificação, a indústria de leite e derivados e a indústria de café e chá, assim como, o sector da cortiça e do turismo na vertente do segmento da restauração.


A agricultura e os serviços públicos e sociais assumem um peso na economia regional (15% e 34% do VAB regional, respectivamente) muito superior à média nacional o que revela dificuldades de diversificação do tecido empresarial e de desenvolvimento de novas actividades de prestação de serviços, nomeadamente, serviços de apoio às empresas (PDTNA, 2008).


O tecido empresarial da região do Norte Alentejano apresenta-se atomizado, com predomínio das pequenas e microempresas. Apenas Campo Maior acolhe empresas com mais de 250 trabalhadores.
Nos últimos anos, a região conseguiu manter uma taxa de iniciativa empresarial superior à média do Alentejo e do país mas a taxa de sobrevivência dos estabelecimentos criados diminuiu sobretudo no que se refere às unidades de menor dimensão, determinando uma inversão da criação líquida de postos de trabalho e uma maior taxa de rotatividade do emprego (PDTNA, 2008).
UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE CIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL  /
Agenda 21 Local. O Caso de Estudo do Norte Alentejano.
Maria José Almeida Dias de Sousa  / 
Lisboa  /  2009  /  DISSERTAÇÃO ORIENTADA PELO PROFESSOR DOUTOR FILIPE DUARTE SANTOS E PELO PROFESSOR DOUTOR JOÃO FARINHA.
publicado por DELFOS às 13:31

QUANTO MAIS SOUBERES A TUA SORTE SERÁ MELHOR

03.12.10

Qualificar os subsidiados

A qualificação da mão-de-obra, nomeadamente dos desempregados, o reforço da flexibilidade laboral nas empresas e uma maior selectividade dos centros de emprego na gestão das ofertas de emprego são as apostas do Governo para dinamizar o mercado de trabalho, num quadro de economia estagnada.

Estes são, de resto, os três eixos prioritários constantes no Orçamento do Estado de 2011 no capítulo das políticas de emprego. Importante nesta estratégia é igualmente o passo já dado, com a revisão do regime do subsídio de desemprego, que dificulta as hipóteses de os desempregados subsidiados recusarem ofertas de trabalho e que faz que as empresas tenham de pagar menos para contratar mão-de-obra.No capítulo das qualificações, o Ministério do Trabalho começou já em Novembro a chamar desempregados subsidiados para frequentarem acções de formação nos Centros Novas Oportunidades, sob pena de perderem o respectivo subsídio. O secretário de Estado do Emprego estimou ao DN que todos os desempregados subsidiados sem o ensino secundário completo seriam envolvidos naquela chamada, o que rondaria um universo de 250 mil indivíduos. Abrangidos serão também cerca de cinco mil beneficiários do rendimento social de inserção (RSI) com mais de 18 anos com ou sem o primeiro ciclo do ensino básico. Para este público, com necessidades especiais, está previsto um programa de qualificação que assenta no desenvolvimento de competências básicas, como leitura, escrita, cálculo e introdução às tecnologias de informação. (1)

(1) http://sapo.pt/bolsa/emprego/interior.asp?content_id=1725954   /  Diário de Notí  (hoje)

Nota:
Se vires alguém com fome, não lhe deis um peixe. Ensina-o apenas a pescar. Eu penso que esta frase não é nenhum provérbio, entendo que ela é do parente Confúcio.
O blog "Gavião no Alentejo" pensa que o conceito é válido.
Apenas entende , o termo de cem mil portugueses que já fizeram as novas oportunidades, a coisa e assunto não lhe cai assim bem no goto. Apenas está falando que também já fez As Novas Oportunidades, as que dão acesso ao nono ano. Pensa, não basta apenas ficar com um diploma.
O blog, o blog julga que o conceito Empregabilidade, o termo, ele foi inventado por um brasileiro e pensa que já vai alguns anitos.  
O que está em causa, as pessoas nem todas são iguais em idade. Mas todas as pessoas devem ter o direito ao pão para a boca. Numa economia global e o mercado de trabalho incerto para toda a gente, que ninguém está seguro, o blog "Gavião no Alentejo", acha que As Novas Oportunidades, as que dão acesso ao décimo segundo,  apenas pensa que se lhe devia dar o minímo de gestão e empreendorismo, criatividade...
A coisa continuando, o blog acha assim um bocado de humor. Está querendo dizer, que as Câmaras Municipais, ao darem um subsídio a jovens para estimular a natalidade, o mesmo o deviam fazer a quem quer montar o seu próprio negócio, ou então, o blog tem consciência, uma vez no mês, as referidas terem um técnico para analisar projectos ou como por exemplo fazer um plano de negócios, ou que pudesse sempre dar uma orientação.
O blog termina, dizendo apenas, nunca teve direito a fazer um curso neste concelho de Gavião e que vai para quatro anos que não verga a mola e a viver quatro anos tão duros numa família disfuncional. São apenas razões políticas, que levam a dizer "que são sempre os mesmos"...
Vamos a ver se a medida agora anunciada, ela é para todos!!!!!!!!!
publicado por DELFOS às 08:20

CURSOS DE FORMAÇÂO PROFISSIONAL EM PORTALEGRE

09.11.10
A CIMAA – Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo – tem marcados os seguintes cursos financiados em Portalegre – 2010 / 2011:

- Curso de Microsoft Office Project (28h)
A iniciar em 13 de Dezembro de 2010

- Curso de Excel avançado (28h)
A iniciar em 4 de Janeiro de 2011

- Curso de iniciação ao Microsoft Outlook (21h)
A iniciar em 26 de Janeiro de 2011

- Curso de  Microsoft Outlook avançado (21h)
A iniciar em 2 de Fevereiro de 2011

- Curso de obras por administração directa: AIRC (14h)
A iniciar em 20 de Janeiro de 2011

- Curso de sistema de gestão de pessoal / ADSE – Nível 1 AIRC (35h)

Cursos financiados Portalegre – Aprendizagem
O Centro de Formação de Portalegre tem à disposição os seguintes cursos financiados Portalegre - Cursos de aprendizagem: - Multimédia (nível 3 – 3275h) - Instalação e gestão de redes informáticas (nível 3 – 3250h) - Manutenção industrial _ Mecatrónica (nível 3 – 3675h)  LOCAL: Campo Maior - Maquinação e programação (nível 3 – 3075h)   Estes cursos financiados terão...

A iniciar em 28 de Fevereiro de 2011
- Curso de sistema de gestão de pessoal / ADSE – Nivel 1 AIRC (35h)

A iniciar em 28 de Março de 2011
- Curso de gestão da qualidade (21h)

A iniciar em 2 de Maio de 2011
- Curso de balanced scorecard (BSC) (21h)

A iniciar em 5 de Janeiro de 2011
- Curso de dinâmicas de grupo (28h)
 A iniciar em11 de Janeiro de 2011

Para mais detalhes / inscrições para estes cursos em Portalegre:
- Email: geral[at]cimaa.pt
- Tlf: 245301440
Praça do Município, Nr. 10 7300-110 – Portalegre (1)

Cursos Portalegre 2010 / 2011 – Financiados pelo POPH
Cursos Portalegre A CIMAA – Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo – tem marcados os seguintes cursos financiados em Portalegre – 2010 / 2011: -
Curso de Microsoft Office Project (28h) A iniciar em 13 de Dezembro de 2010 -
Curso de Excel avançado (28h) A iniciar em 4 de Janeiro de 2011 -
Curso de iniciação ao Microsoft Outlook (21h) A iniciar em 26 de Janeiro de 2011 - Curso de  Microsoft...
.
Cursos Formação Portalegre – Curso de Instalação e Operação de Sistemas Informáticos
Formação Portalegre A Rumos irá realizar um Curso de Instalação e Operação de Sistemas Informáticos em Portalegre. Condições de acesso: - Adultos desempregados com o 6º ano completo Este curso confere equivalência ao 9º ano de escolaridade e certificação profissional de nível 2. Regalias: - Bolsa de formação - Subsídios de alimentação, transporte e acolhimento   Para informações e...(2)

(1) http://cursos-financiados/cursos-financiados-portalegre
(2) http://pensologoexisto.com/cursosfinanciados/cursos-portalegre-2010-2011-financiados-pelo-poph/


Nota:  O blog informa, uma passagem e uma olhada pelos elementos mencionados e citados, algum mal não pode fazer e assim o acredita. Uma olhada pelos mesmos significa uma miragem cerebral mais acertada pelos mesmos e um poder de decisão individual mais verdadeiro e uma escolha muito mais acertada.Mas o blog "terras de Gavião" continua a dizer que não são só as escolas primárias que vão para uma vida mais distante.  A muito nobre  A (CIMMA) - COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO ALTO ALENTEJO, o mesmo destino inteiramente lhe está a dar, num objectivo encoberto para a criação das Grandes Regiões Administrativas, apenas levando indirectamente as poucas gentes para a cidade. Na opinião do blog, era mais democrático dividir o mal pelas aldeias deste distrito, embora venha a dizer que "são sempre os mesmos" e a concorrência e o principio da igualdade é muito desleal, numa palavra, Empregabilidade, que pensa que foi um brasileiro que a inventou. Continua a dizer que "são sempre os mesmos" e afirma que "", que só gostava de saber, simplesmente só saber "onde é que eu ofendi uma pessoa tão especial" e os problemas que depois aconteceram. Mas que continua a dizer que são sempre os mesmos e tudo e toda a informação que apanhar e encontrar será dada, ao mundo, que não só a estes três concelhos...
publicado por DELFOS às 05:35

mais sobre mim

pesquisar

 

Fevereiro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

últ. comentários

arquivos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro