CADA VEZ SE AFUNDA MAIS ESTE ALENTEJO

04.11.10
MAS FOI UMA BOMBA QUE EXPLODIU E QUE PARECE QUE È A SEGUNDA VEZ QUE A COISA ACONTECE NAS TERRAS DESTE ALTO ALTENTEJO...

O muito consagrado jornal "diariodosul.com.pt/index,php/economia/4776" manda para o povo e os seus fiéis leitores o seguinte Alentejo recebe 14 milhões do PIDDAC mas há 18 concelhos que ficam de fora, assim informava o seu povo e os seus leitores e as suas gentes, O blog é uma força que o obriga a publicar a notícia do Grande Amigo "DIÁRIO do SUL" :

Em ano de contenção a proposta do Governo é pouco generosa em sede de PIDDAC (Plano de Investi-mento e Despesas de Desenvolvimentoda Administração Central) no tão propalado Orçamento de Estado para 2011.
Os concelhos alentejanos repartem apenas 14 milhões de euros, mas há 18 municípios que não foram contemplados com qualquer verba. Évora lidera o investimento, com um total de 3,1 milhões de euros, seguindo-se Beja, com 2,3 milhões.
Na capital do Alto Alentejo a componente 2 do programa Polis recebe cerca de meio milhão de euros, enquanto a já anunciada requalificação do Convento São Bento de Castris viu consignados 333 mil euros. Já para a construção do Arquivo Distrital o governo liberta 20 mil euros, sendo que a Escola André de Resende e o Pólo dos Leões também estão entre a lista.
Por ordem alfabética, Arraiolos viu consignada a requalificação de espaços públicos, com 334 mil euros, enquanto Borba recebe 145 mil para Escola EB Padre Bento Pereira. Também a Escola Sebastião da Gama, em Estremoz, recebe 363 mil euros, menos sete mil do que Montemor-o-Novo, que foi contemplado com 370 mil euros para a ordem pública e serviços de saúde. Mourão tem 434 mil euros atribuídos ao Lar Senhora das Candeias, da Santa Casa da Misericórdia.
Portel e Redondo foram ambos contemplados com um milhão de euros para os respectivos centros de saúde, ao mesmo tempo que Vila Viçosa vai receber 499 mil para remodelação do Palácio da Justiça.
Ficaram de fora Viana do Alentejo, Mora e Vendas Novas.Enquanto em Beja, cerca de 2 milhões vão directos para a segunda fase de construção da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, sendo que 350 mil serão encaminhados para o lar de idosos da Casa do Povo de São Barnabé, os 206 mil euros atribuídos a Alvito destinam-se à criação da EB1/Jardim de Infância, sendo que Barrancos recebe 97 mil para o centro de saúde.
A maioria das verbas atribuídas a Ferreira do Alentejo (125 mil), Odemira (10 mil) e Mértola (292) destinam-se à remodelação do património judiciário, embora Mértola vá ainda dispor de uma percentagem para o Lar de Idosos, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário de São Miguel do Pinheiro e à criação de trilhos para visitação e conservação do Vale do Guadiana.
Já os 5 mil euros que o PIDDAC atribuiu a Ourique contemplam a requalificação da Escola Básica, enquanto Serpa recebe 149 mil para expansão da Rede de Lojas do Cidadão. Vidigueira vai requalificar a Escola Básica integrada Frei Antó-nio das Chagas com 309 mil euros
De fora do PIDDAC 2011 no distrito de Beja ficam os concelhos de Moura, Castro Verde, Cuba, Aljustrel e Almodôvar.
Nos concelhos do Litoral Alen-tejo, Sines surge na linha da frente com um total de 870 mil euros, para repartir entre a ampliação do molhe leste no Terminal XXI, controlo de operações marítimo portuários, sistema judiciário, centro de saúde e plano de praia do norte, que vai receber a maior fatia deste “bolo”, com 500 mil euros.
Alcácer do Sal tem inscritos 637 mil euros para a Santa Casa da Misericórdia do Torrão e mais 65 mil para o novo mapa judiciário, que no concelho de Grândola rende uns solitários 10 mil euros.
Já Santiago do Cacém, o mesmo sector acolhe um investimento de 226 mil euros.
Portalegre é o distrito mais penalizado com este apertar de cinto. Vai receber apenas 966 mil euros e dez concelhos ficaram à margem. Arronches, Sousel, Monforte, Avis, Fronteira, Alter do Chão, Ponte de Sôr, Marvão, Castelo de Vide e Crato.
Elvas recebe mais de metade do montante, com 537 mil euros a serem destinados à construção do Estabelecimento Prisional e Palácio da Justiça, enquanto Campo Maior recebe 145 mil para a Escola Básica João Baptista e expansão de Lojas do Cidadão.
A capital de distrito garante 135 mil euros para o Colégio e Igreja de São Sebastião, Plano de Acção de Alegrete e EB Cristóvão Falcão. Avis é contemplado com 29 mil euros para a operação de revitali-zação do centro histórico. Gavião viu consignados 115 mil euros para o Centro Social da Santa Casa da Misericórdia e a EB Professor Mendes dos Remédio (Nisa) surge na lista com 5 mil euros.
publicado por DELFOS às 16:46

FALTAM DUAS NA COMENDA

28.10.10

terça-feira, 5 de maio de 2009


Mercado Público da Comenda (assim começa um post, um texto no http://castelocernado.blogspot.com/ no referido blog.

"(...). Hoje em dia é indispensável em qualquer sede de Concelho ou sede de Freguesia um mercado público, para que os produtores e vendedores possam apresentar os seus produtos aos consumidores em condições de higiene aceitáveis, e ao mesmo tempo o consumidor ter á sua disposição uma maior variedade de produtos á sua escolha, o que não acontecia antigamente, já que os produtos eram expostos em barracas espalhadas pelas ruas sem o mínimo de condições de higiene.
O Mercado Público da Comenda teve pernas para andar - e o blog "Gavião no Alentejo" diz que andou por muito lado.

Andou pelo Dr. Alves da Costa, pela antiga Junta velha, pela "Rua do Tronco", pelo "Largo da Arvorinha" e querendo ficar na frente onde se encontra actualmente , onde se diga lá a coisa, o mesmo, na frente por lá ficou. O blog está dizendo que teve boa perna para andar, o mesmo não sabendo onde ficar -.
(...)
Sabe-se que estas coisas de projectos demoram sempre o seu tempo . mas o blog diz que demorando saiu obra com linhas muita perfeitas e conheceu um tipo que na altura escreveu em comentários no referido:

"Não exprimindo a realidade da oitava maravilha do mundo, o " Mercado Público da Comenda " esse Legado Municipal, não deixa de ser a primeira em vosso povo e nessa aldeia.

Os seus criadores, aqueles que conceberam e a criaram, a poetizaram na sua imaginação, essas pessoas, as felicitações merecem e os parabéns lhe sejam concedidos e oferecidos, que, o gabinete de arquitectura, a entidade que a gerou no papel e projecto, a nota máxima tem que transportar e também levar.

É algo leve e que não é pesado.

É uma obra, uma forma de arte e expressão tão perfeita e bela, as linhas suas e formas harmoniosas, a maneira como se jogou com o espaço e as dimensões utilizadas, a boa fama soa e os elogios e honras lhe fizeram no jornal " Correio da Manhã ", num dos seus suplementos e cadernos.

A vida comunitária, essa vida comunitária e social, a população dessa terra, da " Fonte Nova " para o referido mercado e praça se mudou e se fixou.

Ao entrar, ao circular no referido espaço, na atmosfera reinante e criação arquitectónica, um cheirinho e aroma a sabor medieval se sente.

E é tão novinha, a obra, tão novinha e muito bela, a menina, a menina uma ferida apresenta... das árvores que se plantou, três só estão de pé, as outras morreram.

Que não exprimindo a realidade da oitava maravilha do mundo, o " Mercado Público da Comenda ", não deixa de ser a primeira em vosso povo e nessa aldeia.

O´Luis  (7/5/2009)


publicado por DELFOS às 09:29

DUAS MEDIDAS IGUAIS no Gavião no Alentejo

17.10.10
Tinha que ser a vinte e cinco.
Não foi em Abril, "são e foram recordações em Setembro".
A luta, esta, local, assim alguns anitos de confronto e um esquecimento no hemicíclio desta campina, a referida reunião ordinária da Assembleia de Freguesia de Comenda, do dia e mês citado, uma proposta pelo edil do poder autárquico desta freguesia saiu de uma norma vigente:

"Proposta paraAceitação de doação com conformidade com al. a) do n.º 5, do art.º 34 da Lei 169/99, com alterações introduzidas pela Lei 5-A/2002, de 11/1, esta Junta  propõe ao Órgão deliberativo - Assembleia de Freguesia, para aprovação e aceitação da doação de uma parcela de terreno com 358 metros quadrados, à Junta de freguesia de Comenda, pelo Sr. José Manuel Piedade de Oliveira e sua esposa Antónia Maria da Silva, desanexados do prédio rústico designado Tapada da Eira, inscrito na matriz da Freguesia de Comenda, sob o artº 63.------------------
De referir que esta doação foi feita à  Junta  para o efeito de Utilidade Pública, em 02/11/1991, conforme Acta da Junta da mesma, datada de 25 de 2010 e assinada pelo executivo."


Mas é daquelas coisas que funciona e continua a funcionar. Que talvez sendo por estas e por outras coisas "é que são sempre os mesmos"... E....
Em outros tempos, passando pelas referidas actas, tenho uma vaga noção, as referentes às da Assembleia de Freguesia ainda não existiam e eram gente que falava.
Mas na acta de 24/1/1980, "É de mencionar com mais relevo a oferta feita pelo proprietário do "Estacal da Escola" senhora D. Rosa Duarte da Fonseca, que muita gentilmente cedeu gratuitamente uma área com mil e quatrocentos metros quadrados de terreno, contendo onze oliveiras, área que compreende o depósito da água, para futuramente em colaboração com Câmara Municipal acabar e achar a melhor utilização..."
O blog, apenas a certeza tem, desta vez as coisas serão finalizadas e terminadas. Este tema, ao fim de tantos anos apenas vem a ser falado, foi apenas falado nas actas que ficaram no "site" da referida Junta e porque existiu uma mudança da feira e mercado existente numa terra chamada Comenda. 
publicado por DELFOS às 10:38

OLHA PASSARINHO CANTADO À PORTA DA SUA AMADA

12.10.10

Presidentes de câmara do Alentejo em almoço convívio com regionalização na "ementa" versão para impressão
27-Set-2010
Todos os atuais e antigos presidentes de câmara do Alentejo foram convidados para um almoço convívio inédito, dia 09 de outubro, num monte perto de Viana do Alentejo, devendo o tema da regionalização constar da “ementa”.
O encontro, que vai juntar autarcas eleitos pelos vários partidos após o 25 de Abril, está marcado para o Monte do Sobral, na freguesia de Alcáçovas, onde 136 oficiais portugueses realizaram uma reunião clandestina, em 1973, que marcou o início do Movimento das Forças Armadas.
“Esse monte é um símbolo, porque foi onde os capitães de abril começaram a reunir para preparar a revolução do 25 de Abril, da qual emanou o Poder Local”, disse à Agência Lusa Fernando Sousa Caeiros, um dos promotores da iniciativa.
Além disso, frisou o mesmo organizador, hoje vogal do Programa Operacional do Alentejo – INALENTEJO e antigo presidente do município de Castro Verde (Beja), esse monte também foi escolhido como “palco” do almoço por estar “numa zona que é o centro geográfico do Alentejo”.
O denominado “Encontro de Presidentes de Câmara do Alentejo, eleitos depois de 25 de abril de 1974” ambiciona juntar “os cerca de 200” antigos e atuais autarcas dos 47 concelhos alentejanos, dos distritos de Évora, Beja, Portalegre e Setúbal.
“Se tivermos uma taxa de presenças na ordem dos 50 por cento, já acharemos o encontro muito bem sucedido”, admitiu o antigo autarca independente, eleito pela CDU.
A comissão organizadora integra ainda Hemetério Cruz, antigo presidente do município de Alter do Chão (PSD) e atualmente na empresa gestora do Alqueva, Vítor Martelo, ex-presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz (PS), e Bento Rosado, que já foi vice-presidente da então Comissão de Coordenação da Região Alentejo (CCRA) e hoje está na Gestalqueva.
Sousa Caeiros afiançou que a iniciativa “não tem subjacente qualquer entendimento prévio entre formações partidárias” e resulta “apenas da vontade pessoal dos quatro organizadores.
O “objetivo principal” é o de proporcionar “o encontro e o reencontro” entre os autarcas para que “troquem impressões” sobre os seus “percursos de vida e a atividade” desenvolvida nas diversas autarquias.
“O Alentejo transformou-se profundamente nos últimos 30 e poucos anos e isso tem muito a ver com o trabalho muito intenso do Poder Local, em entrosamento com outras entidades públicas da região”, defendeu.
Mas, a título “individual”, Sousa Caeiros admitiu que a regionalização poderá constar da “ementa”, até porque, lembrou, no referendo sobre o tema, o Alentejo “foi a única região do país que votou a favor” da sua implementação.
“É natural que possamos refletir sobre como as coisas vão pela região”, disse, referindo que os participantes “poderão demonstrar alguma disponibilidade para intervirem civicamente no sentido de voltar a trazer para a agenda política a discussão” sobre esse tema.  "


"Informação recolhida da Rádio Portalegre - a mais ouvida no Alentejo"


Ao fim de tantos anos é que se lembraram que havia um país Real e desprezado a ter assim umas certas características a deserto  e depois se enfeita a coisa...
------------
publicado por DELFOS às 10:32

ALENTEJO no GAVIÂO do ALENTEJO

09.10.10
Charneca!
Pela agreste que nos ouvidos, soa plena de aridez e de rudeza.
Lembra a secura da Planície.
A amargura insipidez de tanto quadro semelhante.

Charneca!
Charneca lembra a terra dura.

O campo ressequido ao sol ardente.
A campina a desbroar-se em ermo e solidão.

Charneca!
Lembra o silêncio perturbador do descampado.
O pavor da distância indefinida.
A monotonia da planura sem fim.

Charneca!
Lembra a natureza impregnada de mistério,
criando em nós a magia da amplidão a da quietude.

Charneca!
Lembra a vastidão do mar. A turva imensidão do mar!
Mar a que não faltam ondas,
quando a ventania corre, à deriva, pelas searas.

Charneca!
Lembra a aspereza dos cenários.
Rudes cenários, em que, fatidicamente,
mourejam tantas almas simples -
- gente que tem a vida na vida da própria terra.

Charneca!
Lembra a alma impressionante dos "montes",
habitações qgachadas, espalmadas nas Planície!
Casas pequenas, onde, à noitinha ,
se recolhem famílias que labutam,
uma vida inreira,
nos campos incomensuráveis.

Charneca!
Lembra o suplícido do arvoredo.
A dor marcada nos retorcidos troncos dos místicos sobreiros.
Solitários monges da Charneca!
Monges martirizados que parecem fitar,
de braços entrelaçados e resignados,
a curva azul do céu,
- "gritando a Deus - como diria Florbela -
a bênção de uma fonte!"

Charneca!
Lembra o olhar infinitamente nostálgico
e extático dos bois.

O olhar lânguido e mormo que eles entornam
pelas imensas várzeas ondulantes.

Charneca!
Lembra os montados. as manadas. Os rebanhos.
Lembra os pobres ganadeiros
que vêm nascer e morrer
gerações de animais
que se habituaram a estimar
HOMENS que se esquecem de tudo à sua volta,
dos dias da semana como os meses do ano,
sabendo apenas em que altura cai
o S. Miguel ou o S. Mateus,
porque o patrão lhes dará um fato novo..................

in "HORÁCIO NOGUEIRA  -  HÁ VIDA na CHARNECA"  - 1956
publicado por DELFOS às 14:55

mais sobre mim

pesquisar

 

Fevereiro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

últ. comentários

arquivos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro