AREZ FREGUESIA DE NISA

28.10.10
Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/1738




Título: Arez da Idade Média à Idade Moderna: um estudo monográfico
Autor: Leitão, Ana Cristina Encarnação Santos
Orientador: Barbosa, Pedro Gomes, 1951-
Palavras-chave: Arez (Nisa, Portugal) - História - séc.13-18
Teses de mestrado, 2008
Data: 2008
Resumo: Arez é actualmente uma freguesia do Concelho de Nisa, pertencente ao Distrito de Portalegre, localizada na região do Alto Alentejo. Na descrição heráldica e na representação do seu Brasão consta a Cruz da Ordem de Aviz, no entanto foi possível verificar através da investigação para o tema da dissertação do Mestrado em História Regional e Local, e no sentido da identificação de um problema através de um símbolo heráldico, que de facto Arez foi Comenda da Ordem Militar de Cristo. E foi nesse âmbito que se centrou a respectiva investigação que deu origem ao referido estudo. A escolha foi, também, justificada pelo facto de não existir, ainda, nenhum estudo monográfico sobre a freguesia em questão, no âmbito dos estudos locais do Concelho de Nisa, apesar de já existirem referências históricas à sua existência a partir dos finais do séc. XII. A contextualização introdutória e genérica do espaço onde está inserida, foi assim neste caso, baseada no conceito de Fronteira, numa lógica de consolidação da formação territorial pelo povoamento. Teve particular importância o processo de senhorialização levado a cabo pela Ordem do Templo. Arez era uma terra senhorial, fazendo parte da Vigairaria de Tomar. Do plano de estudo constou, entre outros elementos, a análise da respectiva Carta de Foral, dada por D. Manuel I, em 20 de Outubro de 1517, em Lisboa. Assim como foi efectuada a consulta e análise da documentação referente aos Tombos da Ordem de Cristo e Chancelaria de D. Manuel I, entre outras, tal como foram elaborados estudos comparativos com as outras Comendas da região pertencentes à mesma Ordem. Outra base para o trabalho foi o levantamento da informação da Toponímia local, assim como da análise da documentação referente à Misericórdia de Arez, ainda existente. Pretendeu-se, na medida do possível, identificar uma evolução histórica da localidade desde o séc. XIII ao séc. XVIII, com base não apenas na preocupação em cartografar o espaço, mas caracterizando-a também através dos indicadores económicos relativos à demografia histórica, afim de enquadrar a sua importância numa perspectiva local e regional. Levou-se ainda a cabo o decisivo trabalho de transcrição das Memórias Paroquiais, referentes ao inquérito de 1758, que aqui se apresentam em anexo.
Arez is currently a parish of the Municipality of Nisa, belonging to the District of Portalegre, located in the Alto Alentejo region. In the heraldry description and in the representation of its Coat of Arms is represented the Cross of the Order of Aviz, however we were able to verify through research for the dissertation topic to the Masters in Regional and Local History, and towards the identification of a problem through a heraldic symbol, that in fact Arez was a Commander of the Military Order of Christ. It was within this framework that was focused the research that led to this study. The choice was also justified by the fact that there wasn't still any monographic study about the town in question, in the core of the local studies of the Municipality of Nisa, although there are already historical references to its existence from the end of the 12th century. The introductory and general background of the area where it is inserted was based on the concept of boundary, in the logic of consolidating formation for territorial settlement. It had particular importance to the process of land owning conducted by the Order of the Temple. Arez was a noble land, and was part of the Vigairaria of Tomar. The study plan consisted, among other things, in the analysis of the Donation Charter, given by King Manuel I, on the 20th of October 1517, in Lisbon. It was also done consultation and analysis of documentation relating to the Archives of the Order of Christ and to the Chancellor of King Manuel I, among others, such as comparative studies with the other Commander of the Order in the same region. Another basis for the work was the existing information in the local toponymy, as well as the analysis of documentation on the Misericódia of Arez, still existing. We tried, as far as possible, to identify a historic development in the locality from the 13th century to the 18th century, based not only in mapping the space, but also in characterizing it by economic indicators related to the historical demography, in order to prove its importance in a local and regional perspective. We also took out the crucial work of transcription of Parish Memories, referring to the survey of 1758, which are presented here in the annex.
Descrição: Tese de mestrado em História Regional e Local apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 2008
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000546695
http://hdl.handle.net/10451/1738
publicado por DELFOS às 13:58

FALTAM DUAS NA COMENDA

28.10.10

terça-feira, 5 de maio de 2009


Mercado Público da Comenda (assim começa um post, um texto no http://castelocernado.blogspot.com/ no referido blog.

"(...). Hoje em dia é indispensável em qualquer sede de Concelho ou sede de Freguesia um mercado público, para que os produtores e vendedores possam apresentar os seus produtos aos consumidores em condições de higiene aceitáveis, e ao mesmo tempo o consumidor ter á sua disposição uma maior variedade de produtos á sua escolha, o que não acontecia antigamente, já que os produtos eram expostos em barracas espalhadas pelas ruas sem o mínimo de condições de higiene.
O Mercado Público da Comenda teve pernas para andar - e o blog "Gavião no Alentejo" diz que andou por muito lado.

Andou pelo Dr. Alves da Costa, pela antiga Junta velha, pela "Rua do Tronco", pelo "Largo da Arvorinha" e querendo ficar na frente onde se encontra actualmente , onde se diga lá a coisa, o mesmo, na frente por lá ficou. O blog está dizendo que teve boa perna para andar, o mesmo não sabendo onde ficar -.
(...)
Sabe-se que estas coisas de projectos demoram sempre o seu tempo . mas o blog diz que demorando saiu obra com linhas muita perfeitas e conheceu um tipo que na altura escreveu em comentários no referido:

"Não exprimindo a realidade da oitava maravilha do mundo, o " Mercado Público da Comenda " esse Legado Municipal, não deixa de ser a primeira em vosso povo e nessa aldeia.

Os seus criadores, aqueles que conceberam e a criaram, a poetizaram na sua imaginação, essas pessoas, as felicitações merecem e os parabéns lhe sejam concedidos e oferecidos, que, o gabinete de arquitectura, a entidade que a gerou no papel e projecto, a nota máxima tem que transportar e também levar.

É algo leve e que não é pesado.

É uma obra, uma forma de arte e expressão tão perfeita e bela, as linhas suas e formas harmoniosas, a maneira como se jogou com o espaço e as dimensões utilizadas, a boa fama soa e os elogios e honras lhe fizeram no jornal " Correio da Manhã ", num dos seus suplementos e cadernos.

A vida comunitária, essa vida comunitária e social, a população dessa terra, da " Fonte Nova " para o referido mercado e praça se mudou e se fixou.

Ao entrar, ao circular no referido espaço, na atmosfera reinante e criação arquitectónica, um cheirinho e aroma a sabor medieval se sente.

E é tão novinha, a obra, tão novinha e muito bela, a menina, a menina uma ferida apresenta... das árvores que se plantou, três só estão de pé, as outras morreram.

Que não exprimindo a realidade da oitava maravilha do mundo, o " Mercado Público da Comenda ", não deixa de ser a primeira em vosso povo e nessa aldeia.

O´Luis  (7/5/2009)


publicado por DELFOS às 09:29

mais sobre mim

pesquisar

 

Outubro 2010

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
15
16
18
29
31

últ. comentários

arquivos

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro